Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2014

retrospectiva 2014

2014 está quase acabando e resolvi seguir a tradição do blog de fazer uma retrospectiva dos posts mais legais do ano (2012 e 2013).
Achei janeiro meio falhado, se salva só o post onde indico fontes para simular um efeito lousa e a retrospectiva literária de 2013. Gosto também do post laricas por motivos de: fome eterna.
Fevereiro foi mais legal, amo as fotos do Pipe sorrindo e as de Queen of the Sea. Também gosto da aquarela desse post, que acabei não usando no blog porque não consegui deixar ela bonitinha :( Também gosto do post mais laricas pelo mesmo motivo que gosto do post laricas.
Março foi meio parado, o que mais bombou foi quando postei fotos de coisinhas fofas da minha cozinha, mas gosto especialmente do 6x6 do carnaval.
Abril foi o mês que mais teve posts no blog. Teve D.I.Y. de Ugly Monster, 6x6 de prédioscactus (que morreu, lógico.) e rosas no pinguim.
Ah, foi em abril que começou a reforma da cozinha também, que até hoje não mostrei como ficou. Meu Deus eu sou a pior blogueira do mundo. Também gosto das 5 coisas que não sei porque sei.
Em maio teve aquarelas. Também teve a cozinha pós-reforma, mas já mudou bastante desde então. Adoro o post 5 coisas que todo mundo ama e eu odeio
De junho gosto do jardim da minha avó, porque pra mim ela é uma florzinha :) Junho foi o mês que eu decidi: Eu tenho uma câmera boa e preciso aprender a tirar fotos melhores. Acredito que isso refletiu nos posts LolitaOvo eterno de uma mente sem lembranças.
Em julho teve suco verde e declaração de amor ao Kindle. Também foi o mês que o blog completou 3 anos.
Agosto foi o mês com menos postagens no blog :( Gosto da minha mini coleção de pedrinhas e da receita de torta de frutas do bosque, que já fiz várias vezes desde então e não tem erro.
 
Setembro teve muitas fotos legais: Cerro Alegre, meu vizinho é um gatinho e la vie en rose se destacam pra mim.
Em outubro comecei iniciei o projeto #TBT por Nova York, que pretendia ser toda quinta mas nope. Também disonibilizei o download das actions para Photoshop que mais uso. Gosto muito do post do Tim Maia.
Em novembro teve receita de bolo de aniversário. Gosto também do post com coisas que anotei no celular e das fotos da Diana que postei aqui. Me dou conta agora que essas foram as únicas fotos de lomo que postei em 2014, que tristeza :(
Gosto das aquarelas e do post sobre meu quarto de dezembro. Também teve retrospectiva literária aqui e aqui
Feliz ano novo!

ano novo quarto novo

O meu quarto sempre faz sucesso aqui no blog. É só dar uma olhadinha tag "lar" que tem várias fotos e posts sobre ele. E também está muito bem documentado todas as mudanças que fiz nele. A última mudança tem bastante a ver com a virada do ano que está por vir, uma certa necessidade de desapego, enfim... Me prometi desapegar de pelo menos 50 coisas até 2015 e consegui cumprir.
Acho que o maior desapego foi a a coleção da Agatha Christie. Sim. Pra ser sincera achei que ia ser bem difícil, são mais de 15 anos colecionando em torno de 100 livros. Isso são muitas horas em sebos procurando livros que eu não tinha e bastante dinheiro gasto. Mas são 100 livros que não tinham nenhuma função a não ser atravancar meu quarto. No fim senti mais alívio do que qualquer coisa. Além da coleção, consegui me desfazer de mais um monte de coisa e fiquei bem feliz :)
O desapego monstro deu margem que eu queria fazer desde sei lá quando: tirar a estante do meu quarto. Dá pra ver ela bem aqui e aqui. Aquela coisa ocupava metade da parede e só estava ali por causa da quantidade absurda de porcarias que eu possuo. Mas consegui superar meu dom de acumuladora e, gente:
Que coisa de Deus, né?
É lógico que eu esqueci de tirar foto do antes e depois, então você vai ter que acessar outro post para entender.
Parece que o quarto tem uns 10 metros quadrados a mais. É lógico que a parede não vai ficar vazia como está e eu provavelmente vou fazer algo no estilo da parede verde atômica porque sou maluca. Aqueles quadrinhos estão ali apenas para cobrir os buracos enormes que a retirada do móvel fez :)
Troquei também a televisão por uma menor em prol de espaço em cima do gaveteiro. Consegui achar um bom lugar para tudo que estava "exposto" na estante e ainda sobrou espaço (!!!). O mural de metal breguinha foi embora e as caixas feias também. Aliviante.
 E a parede verde atômica continua do mesmo jeito, ou seja, fabulous.
Um dia eu vou:
1) pintar as paredes de uma cor mais clara e colocar um papel de parede bonito (e neutro!) nessa parede dos quadros OU cimento queimado.
2) descolar alguma coisa mais legal do que essa lâmpada japonesa de papel para pendurar ali naquele fio (sim, aquilo é uma lâmpada pendendo do teto) OU tirar ela de vez porque quase nunca uso e tenho abajur.
3) fazer uma cabeceira de papel compact (tipo essa) ou comprar uma de ferro.
4) fazer/comprar mais quadros para a parede que agora ficou vazia. Sim, paredes vazias me agoniam! Hahaha.
O que vocês acharam?

obsessões

Aquarelar é um passatempo muito legal e eu estou obcecada.
Nesse dia eu estava obcecada por fontes diferentes.
Nesse dia eu estava obcecada por espirais florais. Ainda quero liberar aqui no blog para download as da direita, mas tá difícil de achar alguém com um bom scanner #ajudaluciano.
 Nesse dia eu estava obcecada pela cor rosa.
Nesse dia eu não estava obcecada por aquarelar mas estava obcecada em tentar desenhar a musa Audrey Hepburn e falhei miseravelmente em todas as tentativas.
 Nesse dia eu estava obcecada em fazer uma coisa mais profissional e também falhei miseravelmente.
Mas aí lembrei que teve uma época que eu era obcecada por desenhar mulheres e os únicos desenhos que eu sabia fazer eram esses aí de cima (que datam de 2007) e acho que um dia posso alcançar um patamar iluminado de arte.

livros pt. 2

Continuando a lista de livros que li esse ano (comecei no post anterior)...
Como tinha dito antes, fiquei bem feliz que consegui ler esse ano muito mais que ano passado (exatamente o triplo, na verdade), sendo que comecei com a meta de ler pelo menos 1 livro por mês. Ao todo foram 33 e contando, porque né, faltam 15 dias para acabar o ano :)
17. Hell, de Lolita Pille: não sei muito bem o que pensar sobre esse livro. Eu meio que sinto vergonha de ter amado, uma coisa guilty pleasure de ser.
18. A Lista Negra, de Jennifer Brown: livro sobre bullying. Consegui resumir esse livro ótimo em uma frase, parabéns, hahaha. Um casal de adolescentes sofrem muito na escola e resolvem fazer uma lista de pessoas que eles queriam que morressem, mas um deles leva muito a sério a lista e eu não vou falar mais nada porque se não vou spoilar, hahaha. É um livro bem triste e pesado, não esperem final feliz ou risadas no meio. É para pensar mesmo.
19. O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith: Escrito por J. K. Rowling sob o pseudônimo de R. G. Vi muita gente reclamando, dizendo que não gostou... Eu amo romance policial e gostei muito desse. Achei que J. K. Rowling não perdeu a mão. Gostei da relação dos protagonistas principais e estou louca para que saia o próximo. Super acredito que Cormoran Strike (o detetive do livro) pode ser o Hercule Poirot moderno. Meldels certeza que a rainha Agatha Christie vai me rogar uma praga lá do céu e eu vou arder no mármore do inferno por dizer isso. Descobri agora que já saiu a continuação e estou hiperventilando.
20. Eleanor & Park, de Rainbow Rowell: mais um livro com uma linguagem jovem que me desagrada. Esse livro bombou muito nos blogs de literatura que costumo ler e nem vou contar muito da história porque todo mundo já sabe ou leu. Eu achei triste porém fofinho, os dois são fofinhos, tudo fofinho. Só eu consigo dizer que um livro que trata (entre outros assuntos) de violência doméstica é fofinho, né? Passagem para o inferno garantida, realmente. Enfim, fofinho demais pro meu gosto. Acho que é a linguagem jovem que me passa esse aspecto fofinho. Não é que eu não tenha gostado, foi bem gostoso de ler, fiquei vidrada... Mas não pretendo ler mais nada do autor. No entanto, acho que um filme ia ser delícia. Será que vai sair?
21. The Tales of Beedle The Bard, de J. K. Rowling: adorei os continhos, bem curtinhos e gostosos de ler.
22. Garota Exemplar, de Gillian Flynn: sim, sim, sim, sim! Talvez o melhor desse ano. A esposa de Nick desaparece e, aos poucos, as suspeitas vão recaindo sobre ele. Amei a forma como a história foi construída, os personagens, a reviravolta, o final (depois que eu absorvi a segunda reviravolta, porque né)... Amei tudo. Li em dois dias as quase 500 páginas porque fiquei vidrada. Eu ainda não vi o filme.
23. Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick: Gostei. O protagonista é tão adorável que tu não acredita nem por um segundo no que ele está prestes a fazer. Em algumas passagens do livro ele conversa com o vizinho usando apenas passagens de filmes e eu achei genial. Fiquei com vontade de ler O Lado Bom da Vida, do mesmo autor.
24. Fantastic Beasts and Where to Find Them, de J. K. Rowling: eu até achei divertidinho, mais por relembrar alguns dos monstros que apareceram nos livros do Harry Potter do que por qualquer outro motivo. Li em ebook, depois vi na livraria e descobri que o livro físico é como se fosse um livro de estudos de algum personagem, é isso? Deve ser incrível :) Ah, tive algumas dificuldades em ler em inglês, mais porque li todos os Harry Potters em português e não estava muito familiarizada com os termos.
25. Uma Confidência de Maigret, de Georges Simenon: Depois que percebi que já tinha lido quase todos os livros da Agatha Christie, iniciei a saga de encontrar um novo autor bom de romance policial. Já tinha lido um ou outro livro do Simenon e tinha achado mais ou menos, mas me prometi ler pelo menos 4 curtinhos para ter certeza. Achei esse livro interessante porque se passa todo dentro de uma sala com pessoas contando histórias, estilo Os Treze Problemas da Agatha. Achei ok.
26. Os Quatro Grandes, de Agatha Christie: e aí consegui encontrar alguns livros dela que me faltavam ler e comecei por esse. Gosto quando Poirot não fica só em Londres ou em alguma cidadezinha do interior da Inglaterra :)
27. Maigret e o Homem Solitário, de Georges Simenon: Um morador de rua é encontrado assassinado e ninguém sabe nada sobre ele. Traminha leve, podia ser ultra interessante, mas o desfecho final é completamente blé..
28. O Inimigo Secreto, de Agatha Christie: Tommy e Tuppence melhor casal de detetives, só isso que tenho a dizer sobre esse livro <3
29. O Cadáver Atrás do Biombo e Um Furo Jornalístico, de Agatha Christie e outros: gostei por serem vários autores que escrevem a mesma história. Acho bem legal esse tipo de projeto e, se escrevesse bem, gostaria de participar de um um dia :)
30. Maigret e os Homens de Bem, de Georges Simenon: Por um tempo me apeguei ao detetive com o seu drama de que hoje em dia parece que todo mundo é "de bem" e blá blá, mas nope, sorry.
31. Maigret na Escola, de Georges Simenon: Serviu para desistir de substituir Simenon por Agatha, o detetive Maigret não me conquista de jeito nenhum.
32. As Virgens Suicidas, de Jeffrey Eugenides: Sim, sim, sim, sim, sim, sim, sim! Sim, mais "sins" do que Garota Exemplar. Eu já tinha visto o filme e amado. Alguém me indicou o livro e eu decidi ler. Gente, que coisa mais maravilhosa. Terminei de ler faz pouco tempo e ainda não consegui absorver 100% para poder falar sobre, mas achei essa resenha perfeita.
33. Depois de virgens suicidas comecei a ler Tripulação de Esqueletos, de Stephen King, segundo recomendação da Lu Vilha, essa linda <3 Recém comecei, então ainda não sei o que pensar.

Ufa, são esses.
Obrigada a todos que recomendaram coisas legais, prometo esquadrinhar tudinho. Sigo procurando um bom autor de romance policial, que não seja Conan Doyle e Agatha Christie, pois amo ambos e já li tudo, e Georges Simenon, porque ninguém é obrigado. Alguém tem para indicar?
Seguindo o clima retrospectiva, dezembro, ano novo, promessas futuras e afins, alguém postou essa imagem na minha timeline e eu decidi colocar como meta de 2015:
Legal né? Segue tradução livre (hehehe) para quem estiver afim de fazer:
Desafio de leitura 2015
1. Um livro com mais de 500 páginas
2. Um romance clássico
3. Um livro que virou um filme
4. Um livro publicado esse ano
5. Um livro com um número no título
6. Um livro escrito por alguém com menos de 30 anos
7. Um livro com personagens não humanos
8. Um livro engraçado
9. Um livro de uma autora mulher
10. Um mistério ou suspense
11. Um livro com o título de uma palavra
12. Um livro de histórias curtas
13. Um livro que se passa em um país diferente
14. Um livro de não ficção
15. O primeiro livro de um autor popular
16. Um livro de um autor que você ama e que ainda não leu
17. Um livro que um amigo recomendou
18. Um livro que ganhou um prêmio Pullitzer
19. Um livro baseado em uma história real
20. Um livro no final da sua lista de "para ler"
21. Um livro que sua mãe ama
22. Um livro que te assuste
23. Um livro com mais de 100 anos
24. Um livro baseado inteiramente em sua capa
25. Um livro que você deveria ter lido na escola mas não leu.
26. Um livro de memórias
27. Um livro que você consegue terminar em um dia
28. Um livro com antônimos no título
29. Um livro que se passa em um lugar que você sempre quis visitar
30. Um livro que foi lançado no ano em que você nasceu
31. Um livro com péssimas críticas
32. Uma trilogia
33. Um livro de sua infância
34. Um livro com um triângulo amoroso
35. Um livro que se passa no futuro
36. Um livro que se passa em um colégio
37. Um livro com uma cor no título
38. Um livro que te faça chorar
39. Um livro com magia
40. Um livro em quadrinhos
41. Um livro de um autor que você nunca leu antes
42. Um livro que você tem mas nunca leu
43. Um livro que se passe na sua cidade natal
44. Um livro que foi originariamente escrito em outra língua
45. Um livro que se passa durante o Natal
46. Um livro de um autor que tenha as mesmas iniciais que você
47. Uma peça
48. Um livro banido
49. Um livro baseado ou que se transformou em uma série de TV
50. Um livro que você começou mas nunca terminou
Vamos tentar? :)

livros pt. 1

No início desse ano fiz uma lista dos livros que tinha lido em 2013, que totalizou em: dez. Sim, vergonhoso. Esse ano foi mais legal em termo de leituras e o ano nem terminou e já li mais que o dobro do que o ano passado :)
Para não acumular muito, decidi dividir em 2 (talvez 3) partes :}
Eu não sei vocês, mas eu gosto mais de ler resenhas em outro blogs dos livros que já li. Primeiro porque tenho um pé atrás com spoiler e percebo que considero spoiler coisas que a maioria não considera. Segundo porque eu adoro saber o que os outros acharam de livros que já li. Gosto mais ainda quando a pessoa não gostou muito e eu amei, ou a pessoa amou e eu odiei. Porque aí começo a criar uma nova perspectiva daquele livro e inclusive já passei a odiar/amar livros que tinha amado/odiado. Sim, sou uma pessoa volúvel, beijos.
 1. Eu sou Malala, de Malala Yousafzai: namorado me deu de Natal e achei a história da Malala muito inspiradora e emocionante. História real de uma menina que, desde pequena, lutou pelo direito à educação em um lugar onde mulheres não tem direito à nada. Um choque de realidade. Essa entrevista dela no The Daily Show me emociona um monte.
2. A Morte no Nilo, de Agatha Christie: eu comecei o ano com a idéia de reler todos os livros que tenho da Agatha pra poder trocá-los no sebo por outros livros diferentes. Em A Morte no Nilo, um crime acontece em um barco e Hercule Poirot mostra mais uma vez porque é o melhor detetive do mundo (YEAH, TAKE THAT SHERLOCK).
3. Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias, de Agatha Christie: 9 continhos deliciosos da rainha do crime. Se alguém nunca leu Agatha e está querendo começar, recomendo muito esse livro. Acho sempre bom conhecer um autor, se possível, por meio de pequenos contos, já que dá pra ter uma boa idéia do estilo de escrita e, se você não gostar, não se vê obrigado a ler uma história enorme até o fim.
4. Johnny Cash - Uma Biografia, de Reinhard Kleist: encontrei na biblioteca do namorado, que é doido por quadrinhos, e achei demais. É uma biografia ilustrada de um dos meus artistas preferidos. Johnny Cash, seu lindo. Tem outra coisa que gostei nessa biografia e que é um dos motivos pelo qual eu reluto com biografias em geral: a história não esconde que a fase em que Johnny estava completamente lunático foi a fase mais criativa dele. Tenho a impressão que a maioria das biografias tenta fugir desse tipo de fato por motivos politicamente corretos. Veja bem, não acredito que você precise usar anfetamina para escrever músicas boas ou que o vício não vai arruinar sua vida, mas se você se propõe a escrever sobre a vida de uma pessoa, não pode distorcer fatos.
5. Um Acidente e Outras Histórias, de Agatha Christie: Mais 9 continhos da minha escritora preferida. Outro livro legal para adquirir se você quer começar a ler Agatha ou romance policial no geral.
6. O Gato do Brasil e Outras Histórias de Terror e Suspense, de Sir Arthur Conan Doyle: quatro contos bem curtinhos. Me surpreendeu porque não tinha absolutamente nada de Sherlock Holmes ou contos policiais no geral. São contos de terror e achei gostosinhos de ler. Não posso dizer que amei, mas é tão curtinho que nem dá tempo de odiar. Fiquei interessada nesse tipo de literatura (terror e suspense), alguém tem algum autor para recomendar? 
7. Contos de Hemingway, de Ernest Hemingway (dã): deu pra ver que eu andava numa fase "contos" né? Eu adoro ler histórias curtas :) Assim, Hemingway é um baita escritor, achei tudo muito bem contado, montado, construído. Mas não me conquistou. Sorry not sorry. Ainda quero ler outras coisas dele (já li Paris é uma Festa e amei).
8. A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera: geralmente fico meio preguiçosa com livro com muito auê em cima, mas gente, esse livro me fez perder completamente esse pé atrás. Leitura maravilhosa, com um mega viés filosófico misturado com romance. Daqueles que te faz pensar, repensar e pensar de novo. Pretendo reler. 
9. A Terceira Moça, de Agatha Christie: apesar de o Hercule Poirot ser a estrela dessa história, achei que a leitura "fugiu um pouco" do ritmo da Agatha. Tipo, não é ruim nem nada, só bem diferente das outras histórias que li dela.
10. A Maldição do Espelho, de Agatha Christie: só uma coisa a dizer sobre esse livro: Miss Marple <3 E aqui eu acabei desistindo de reler todos os livros da Agatha, porque vai ter paciência né.
11. A French Girl in New York, de Anna Adams: aqui inaugurei duas novas eras ~ a era do Kindle ~ e ~ a era da leitura em inglês para treinar ~. Sobre o livro... Menina pianista, auto-didata, chatinha e com uma família do mal, mora no interior é descoberta por um grande produtor musical e se muda para Nova York para seguir a carreira musical. Clichê dos clichês, Cinderela Story. Não criei empatia pelos personagens e pela história. A única coisa que me fez ler até o fim foi querer saber se a protagonista se fodia no fim. Porque sim, eu estava torcendo pra isso. Não leiam.
12. O Projeto Rosie, de Graeme Simsion: O centro da história é o relacionamento de Rosie e Don, que tem um tipo de autismo. Li em algumas resenhas muita gente dizendo que ele não tem um tipo de autismo, que ele só é estranho, mas gente, pra mim ficou claro desde a primeira página. Enfim, gostei mesmo foi das tentativas do autor de explicar como funciona a cabeça do protagonista. Ele lembra muito o Sheldon, de The Big Bang Theory. Daqueles livros fofinhos que são gostosinhos de ler :)
13. The Casual Vacancy, de J. K. Rowling: Essa linda não me decepcionará jamais. Fiquei com medo de ser uma porcaria, porque né, saga Harry Potter obra máxima da literatura, academia universal de letras, não tem como superar. Hihihi, brinks. A verdade é que não tem nem como comparar, porque Morte Súbita tem um tom completamente diferente de Harry Potter. Conta a história de diversos moradores de uma cidadezinha do interior da Inglaterra após a morte súbita (dã) de um deles. Amei o tempo como a história é contada, achei que ela degringolou um pouco no meio mas ownou o final. Li em inglês e foi tranquilo :)
14. Quem é você, Alasca?, de John Green: Tinha lido A Culpa é das Estrelas no ano passado e achei legal. Falei sobre nesse post aqui. Achei que seria massa ler mais coisas do autor. Acontece que o que eu já achei que fosse preconceito literário meu, percebi que é uma coisa de gosto. Simplesmente não gosto de ler livros voltados para o público jovem. Não faz meu estilo, a linguagem me desagrada. Dito isto, achei a história de Quem é você, Alasca? muito legal, os personagens me convenceram e me interessaram, li feliz até o fim e ainda segui com mais um livro do John Green, just because. Sim, mesmo não gostando da linguagem. Gosto de sofrer, sou hipócrita, bjs.
15. O Teorema Katherine, de John Green: não gostei tanto da história mas agradeci por um livro do autor sem choradeira no fim <3 aliviante. Aí acabei decidindo não ler mais o autor pelo menos por esse ano por motivos de: milhões de pessoas escrevendo no mundo e eu aqui perdendo meu tempo com um que eu nem acho tão legal (mas é legal, gente, tentem me entender hahaha).
16. Eu Receberia as Piores Notícias de Seus Lindos Lábios, de Marçal Aquino: Sim, sim, sim. Ainda não tenho certeza, mas talvez seja o melhor que eu tenha lido esse ano. Romeu e Julieta no interior do Pará, uma delícia. Descobri agora que tem um filme de 2012 e que pegaram a Camila Pitanga para ser a Lavínia. WHY GOD? Ela é o oposto de como eu imagina a Lavínia, estou acabada.

Me contem se vocês já leram algum desses, concordam/discordam ou ficaram com vontade de ler?
Ah, e estou sempre aberta a novas indicações. Próximo post já está escrito, sai em breve :)