filme: ferrugem e osso

Já falei aqui que tenho dificuldade em indicar um filme sem contar metade dele. Sei lá, simplesmente não consigo, vou me emocionando e quando menos espero estou quase contando o final. Aí solto a fatídica frase "Ah, tu não vai ver mesmo né?" e conto logo o final. Percebi que é de família quando meu pai fez exatamente a mesma coisa ao me indicar Intocáveis - outro filme francês genial -, que assisti já sabendo a história todinha graças a ele <3
Vou me esforçar ao máximo pra não contar pra vocês toda a história do filme.
Sinopse: No norte da França, Ali (Matthias Schoenaerts) conhece Stephanie (Marion Cotillard) após uma briga na boate onde ele trabalha como segurança. Ele é um boxeador que faz bicos para se sustentar e conta com a ajuda da irmã, que o deixa morando na garagem, ela é uma ex-treinadora de baleias que perde as pernas após um acidente. Os dois vivem uma história de amor imprevisível sobre todas as dificuldades, físicas e morais.
Eu e meu namorado temos muitas coisas em comum. O gosto por filmes não é uma delas. A Marion Cottilard é uma delas. O último dilema na locadora foi resolvido pela presença dela como protagonista. Ele sugeriu, eu não estava afim de assistir, mas tinha ela - uma das minhas atrizes preferidas.
Ferrugem e Osso poderia ser um dramalhão. Mas não é. É um filme sensível. Daquele tipo que você ama e odeia todo mundo ao mesmo tempo. Você quer abraçar um personagem ao mesmo tempo que você pensa em formas de matá-lo. Você não sabe se ri ou se chora.
A química entre os personagens principais é impressionante: Stephanie é uma mocinha sensível e Ali é um brutamontes insensível. De uma forma inesperada, se complementam. Os opostos se atraem.
Diferente da sinopse, não achei que o filme seja uma história de amor - apesar de o sentimento estar inerente aos personagens. É uma história de superação, desprendimento e perseverança - é isso que os dois personagens principais tem em comum. O amor fica em segundo plano. Em primeiro plano está a vida de ambos, separadamente. Eles não enfrentam juntos suas dificuldades, eles não podem contar um com o outro. A parceria entre os dois vem aos poucos, devagar, leva tempo.
É daquele estilo de filme cheio de reviravoltas: quando você acha que tudo está dando certo, que a coisa vai finalmente engrenar, algum fato inesperado acontece e você já está abraçado no travesseiro roendo a unha querendo saber o que vai acontecer de novo.
Na área mais tecnológica da coisa, gostei muito da fotografia do filme. Gostei das sacadas de luz: quando a personagem de Marion está deprimida o filme fica sombrio e vai, na medida de sua recuperação, se colorindo. Os efeitos especiais nas pernas de Stephanie - que foram amputadas digitalmente - estão perfeitos.
Ferrugem e Osso é um ótimo filme para quem quer fugir um pouco dos dramalhões Blockbuster. É um dos melhores filmes que assisti esse ano. Recomendo muito.
Adivinha se meu namorado não dormiu? :)

Comentários

  1. nunca tinha ouvido falar, valeu pela dica!
    aliás, é super normal: quando eu escolho o filme, meu namorado dorme. e quando ele escolhe, eu durmo, hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, saco né? difícil conciliar!

      Excluir
  2. Compartilho a admiração pela Marion, acho ela linda, quase morri com a interpretação dela de Piaf, enfim. Já tinha visto alguns posts sobre esse filme mas, achei que era tipo dramalhão e ultimamente estou evitando filmes assim, gostei da sua opinião, vou colocar na minha watchlist. Um filme que eu não dava nada por ele mas, é lindo/sensível/delicado é Lars and The Real Girl, recomendo muito!

    ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marion em Piaf = amor eterno, amor verdadeiro! Hahaha
      Gata, Lars and The Real Girl é com o Ryan Gosling - irei ver, certeza. Hahaha
      Obrigada pela indicação :)

      Excluir
  3. Eu também não tinha ouvido falar desse filme. Achei interessante essa coisa que o filme colorir-se com o humor do protagonista - usado no "Aos Treze". :'D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Acho "Aos Treze" muito bom também, apesar de muito triste - fico morrendo de pena da mãe da menina.

      Excluir
  4. Já tá na minha listinha! Também adoro a Marion, apesar de ter odiado a atuação dela como Talia no último filme do Batman )):

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Eu amei ela em Batman! Hahaha, mas acho que foi assim, pensei MARION O QUE VOCÊ VAI FAZER EM BATMAN? NÃÃÃO e fui sem esperar absolutamente nada. E aí ela me surpreendeu :))

      Excluir
    2. Ah, esqueci de explicar que eu AMO Batman, daí também sou suspeita :)

      Excluir
  5. Anônimo24.9.13

    E eu que devolvi sem ver... ai ai

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e pagou atraso na locadora que eu sei :( hehe

      Excluir
  6. Vai pro "quero ver" do meu filmow ((:

    ResponderExcluir
  7. Acho que já baixei esse filme aqui em algum lugar, vou procurar. As vezes gosto mais de um filme pela ~cara~ dele do que pela sinopse, e essa foto me deixou babando. Tô precisando me atualizar nos filmes sensíveis, ando tão cansada que sempre acabo escolhendo um pastelão pra ver, desses que não exige esforço. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é, eu também, parece que só tenho assistido blockbuster - esse filme fugiu bastante do conceito :)

      Excluir
  8. Eu assisti esse filme porque tinha sido indicado ano passado pra Cannes e Marion é sempre amor. Mas é aquela coisa, e nunca vi divulgação nenhuma dele e eu NÃO SEI COMO porque é lindo. Os filmes franceses atuais que vi nesses últimos anos estão entre os melhores que já vi, sabe? A safra que sai de lá tá de parabéns.

    Mas enfim, o filme, ele é lindo demais e o que eu gosto é que a relação que os dois tem é muito próxima, mas não é fantasiosa. Existem problemas, cada um com o seu, existe o problema conjunto, existe vida fora do que eles criam, os dois são reais e é muito fácil se envolver com pessoas que não são perfeitas, mas são totalmente humanas. É fácil sentir aquele sentimento, sentir que você podia estar ali e eu acho que por ser tão real, mas bonito que o filme é tão bom assim.

    Pale September

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, estou amando filmes franceses - antes tinha preconceito infundado, não sei o pq -.
      Estou buscando outros agora :)
      Você descreveu as sensações do filme melhor do que eu! <3

      Excluir

Postar um comentário

infelizmente o blogger não tem uma plataforma muito boa de comentários, então se alguém tiver algum interesse em ver minha resposta tem que voltar aqui no post. Procuro responder todos!
Obrigada pelo feedback!!