era melhor ter ficado quieta...

9 de julho de 2013
Certeza que todo mundo já passou por isso. Aquele momento que você vomita alguma frase sem pensar  muito a respeito. Antes de terminar ela você enxerga um mini você correndo em sua direção em câmera lenta dizendo "nããããão". Mas aí a cagada já foi dita. Você tem três opções:
1) tentar consertar: complicado, grandes chances de piorar a situação.
2) fingir que não falou a besteira e seguir nervosamente o assunto: complicado, a pessoa pode ficar chateada com o que você falou e passar a te achar um idiota.
3) ser honesto: complicado, difícil ser verdadeiro sem pisar em alguns calos.
A verdade é que às vezes nem você sabe porque falou aquilo. Pode ser uma coisa que você estava pensando ali, na hora, mas que na verdade nunca tinha matutado (adoro esse verbo) muito sobre o assunto e assim que ouviu sua opinião rasa em voz alta se deu conta do absurdo. Às vezes você realmente falou alguma coisa certa, mas não teria motivos para outras pessoas saberem que é isso que você pensa. Você pode estar bêbado, de TPM ou particularmente ácido nesse dia. 
Às vezes você simplesmente está numa maré de azar. Tipo eu que uma vez fiquei reclamando muito (ok, reclamar muito soa bonito, estava metendo o pau mesmo) do programa de rádio que estava ouvindo com umas amigas até descobrir que uma delas era filha do locutor. Ou meu namorado que, ao ser apresentado para uma menina que não tinha um dos braços, sem perceber, estendeu a mão direita. A menina estendeu a esquerda e ele insistiu com a direita e, não satisfeito, falou "vamos dar um aperto de mão que nem gente!". Claro que isso tudo vira piada entre nós. Aquela minha amiga nunca foi muito minha amiga e o programa de rádio realmente é uma porcaria, até ela admite. E a menina do braço achou muita graça e falou que estava acostumada com esse tipo de coisa. Eu tenho um milhão de histórias de foras desse tipo e é sempre engraçado contá-las. Um amigo diz que eu sou a Bridget Jones tupiniquim.
Mas volta e meia você fala alguma bobagem que magoa alguém. Tipo quando você vomita para aquela amiga meio surtada apaixonada que o cara claramente não está afim dela. Ela tem que saber, mas você tem que saber falar.
Você também pode falar uma bobagem que automaticamente te transforma num idiota. Tipo um amigo meu que acredita que muitos problemas se resolveriam com um controle de natalidade obrigatório. Discordo muito, mas é uma opinião válida e não transforma ele num idiota. Ele estava meio bêbado e meio exaltado e chegou a dizer que mulheres que já tem mais de X filhos deveriam ser forçadas a fazer ligadura de trompas. Aí ele automaticamente virou um idiota.
Eu não sei vocês, mas isso me acontece com mais frequência do que eu gostaria. O fato de eu perceber e, consequentemente, me arrepender das bobagens que às vezes falo me deixa pelo menos um pouco menos idiota. Mas continuo uma idiota. E disso me envergonho.
Acho que todo mundo, quando criança, já ouviu de alguma mãe/avó/tia: "se não tem nada de bom para dizer, é melhor ficar quieto". Desde que deixei de ser a dona do mundo e de achar que podia sair arrotando tudo que viesse na minha cabeça por aí levo isso comigo. Dou uma escapadela aqui e ali, mas percebo que a quantidade de vezes que engasgo com uma bobagem dessas é muito maior do que a quantidade de vezes que eu efetivamente solto elas. Me orgulho um pouco disso, mas vou me orgulhar mais no dia que eu parar de falar bobagens por aí.
Esse texto vai pra todas as pessoas que perderam mil e uma oportunidades de ficarem quietos. Um beijo :*

5 comentários:

  1. todo mundo corre o risco da gagada. o que difere as pessoas válidas das insensíveis é a atitude de tentar consertar o erro. sempre há um jeito pra tudo, é só questão de consciência.

    o blog tá incrível como sempre. beijos!

    ResponderExcluir
  2. Perdi incontáveis oportunidades dessas. Perdi amizades por não ter ficado quieta e dizer coisas sem necessidade.
    Mas já falei coisas que, apesar de não ter sido o mais correto nem no momento correto, consegui ajudar pessoas de forma prática. Doeu a quem tinha que doer, mas a pessoa sobreviveu e ainda somos amigos.

    Talvez a pessoa falar uma bobagem seja a nossa oportunidade de dialogar de verdade. Do tipo, A diz "eu penso assim" e B diz "mas será que pensando assado não é melhor?"

    Corrigir uma cagada épica de dizer que Fulana é nome de puta e a mãe da interlocutora se chamar Fulana não tem como. Nesses casos, é desculpas, saudações e engolir o sapo. :/

    ResponderExcluir
  3. "se não tem nada de bom para dizer, é melhor ficar quieto".

    Admiro quem consegue. Dizem que existem as pessoas que escutam e as que falam. Sorte de todas que escutam, ou não, e como eu queria ser que nem elas, mas eu sou exatamente o tipo de pessoa que fala sem pensar. Geralmente, eu não falo nada que ofenda e acaba saindo mais merda mesmo, mas eu também tenho umas faltas de noções que me fazem magoar as pessoas com o que e, principalmente, como eu falo. Queria saber parar, mas não dá, então, um beijo de volta porque eu me encaixo neste post perfeitamente, hahaha.

    Pale September

    ResponderExcluir
  4. "vamos dar um aperto de mão que nem gente!".
    hahahahahahahahahahahahaha ai gente...

    tenho uma vizinha que foi num velório há muito tempo e ergueu o braço para cumprimentar a viúva: "meus parabéns... digo, meus pêsames".

    eu também tenho muito esses momentos 'taquepariu falei merda', mas acho que faz parte da vida, né? pior que eu sou tímida com quem conheço pouco, então sempre solto uma dessas quando trombo com a pessoa na rua e, depois de tentar loucamente virar invisível, sou obrigada a cumprimentar a pessoa porque ela me enxergou e tá sorrindo pra mim e tal.


    www.pe-dri-nha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Antônio LaCarne: concordo! a maioria das pessoas nem se preocupa em consertar...

    Amanda: é, isso acontece também, ser ultra sincero quandoa pessoa não está querendo sinceridade e só apoio - clássico.

    Tany.: hahaha sim, eu venho trabalhando nisso há anos mas ainda não consegui parar de falar bobagens por aí!

    Manie: hahahaha namorado <3 ai, coitada da vizinha! haha adoro esse tipo de história. capa de invisibilidade, QUANDO?

    ResponderExcluir

infelizmente o blogger não tem uma plataforma muito boa de comentários, então se alguém tiver algum interesse em ver minha resposta tem que voltar aqui no post. Procuro responder todos!
Obrigada pelo feedback!!

Tecnologia do Blogger.
Back to Top