Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

meu amor por nova york ilustrado


Uma humilde homenagem à cidade mais linda que já visitei.

street art #3


Achei esse carinha com uma cara de sofrido, mas adorei o furo no queixo e o nariz na altura dos olhos.
Gosto como, nesse tipo de arte, é comum os desenhos serem deformados e com feições exageradas, mas mesmo assim funciona.
Me faz lembrar que nem sempre as coisas precisam ser perfeitas para serem belas.

holga pictures #2

Times Square de noite e de dia.

A única foto que consegui tirar com minha Holga de noite foi essa na Times Square, que é tão iluminada que a câmera, mesmo sem flash, consegue capturar a luz. Como fiquei hospedada no Queens quando visitei NYC, acabava que sempre tinha que ir até a estação da Times Square para pegar o metrô naquela direção. A maioria das linhas de metrô de Manhattan passam por essa estação e sempre que tínhamos tempo ou não estávamos tão cansadas acabávamos subindo para dar uma espiada nesse lugar tão famoso. Além dos anúncios tão conhecidos mundialmente não há nada de muito emocionante. Um monte turistas tirando foto de todos os cantos, lojas de departamento enormes e de lembranças de NYC, restaurantes ruins e caros, uma rua chamada Little Brazil e nada mais. Apesar disso, acho que vale muito a visita. É um cartão postal muito bonito da cidade.

I like #4


1 - day to night pictures. Após tirar milhões de fotos do mesmo local em horários diferentes do dia, o fotógrafo Stephen Wilker desenvolveu uma mistura das imagens, fundindo a noite com o dia. Funcionou lindamente na selva de pedra nova iorquina. Acho que não deve existir cidade mais cinematográfica e fotogênica do que essa.
2 - The Sea of Fertility. Gosto muito de de moda e de arte. Encontrar blogs que misturam esses dois institutos culturais é demais. Essa menina faz ilustrações de seus looks do dia de um jeito bem despretensioso, e ao fim ficam lindas. Acho que ela é meio conhecidinha, principalmente por causa de sua página no lookbook.nu (vale a pena conferir também).
3 - Feed Your Soul. Um projeto de arte grátis. Novas ilustrações em altíssima resolução são colocadas todo o mês pela autora do blog Indie Fixx. As obras são escolhidas pela própria e muito bem selecionadas. Achei bem válido, me deu vontade de imprimir todas e pendurar nas minhas paredes. O ideal é mandar em uma gráfica para garantir a qualidade das imagens.
4 - i can read. Tumblr cheio de frases inspiradoras. No mesmo estilo do Quoteskine, mas bem mais variado. Adorei e com certeza vou iniciar um projeto de escrever frases no meu moleskine, mas tem que ser assim, bem bonito e diferente.

the ultimate lipstick

Arrumando minhas maquiagens, encontrei o meu batom preferido que tinha desaparecido. Acho esse tom de vermelho meio cereja o mais lindo do mundo. É o Jazz Berry da Clinique. Sem contar que essa embalagem é linda demais.
Essa é a cor dele. Acho tão bonita. A fixação dele não é das melhores, mas fazendo aquela função lip balm, batom, pó compacto e batom ele dura pra sempre. Ele tem uma textura entre cremoso e matte.
Encontrei outros batons lindos que sempre me esqueço de usar e coloquei eles melhor localizados na minha "penteadeira" (gaveteiro que serve para guardar roupas, bijuterias, eletrônicos - aquele fios, câmeras velhas, disc-mans, pilhas usadas e afins, que a gente nunca sabe onde colocar e se pode colocar direto no lixo - e de quebra, coloco a televisão em cima). Esse batom bem da direita e o terceiro da direita para a esquerda é de uma marca mega barata, custou tipo R$ 6,00 e ambos tem uma cor linda e duram para sempre. Ressecam um pouco a boca, mas é um super achado. Gosto desse da Revlon também, o Nude Attitude. Percebi que a minha cor preferida para batom é rosa, e 90% dos meus são dessa cor.

organizando maquiagens...

Arrumando meu quarto, passei um bom tempo ajeitando minhas maquiagens... Esparramei tudo na minha cama e me diverti encontrando coisas que nem lembrava que tinha, incluindo meu batom preferido que tinha sumido há um bom tempo e fingi que não lembrava dele para não chorar.
Notei que tenho muitas coisas da Revlon. Não sei o porquê na verdade, já que nunca me interesso especificamente por coisas dessa marca. Parando pra pensar descobri que na verdade acho tudo de muita qualidade e acho que inconscientemente meu corpo migra para essa sessão nas lojas.
Separei em coisas para a pele, olhos, boca e pincéis.
As sombras e pigmentos estão na caixinha de cima, enquanto primers, bases, blushes e bronzers estão na de baixo. Essas caixinhas são da Victoria's Secret, dentro vieram vários mini creminhos e mini body splashes (blé, uso raramente em roupas para deixá-las cheirosas). São de papelão, mas bem resistentes e bonitas. Adoro o tom de azul Tifanny's da de baixo, apesar de já estar um pouco desbotado.
Os lipbalms e glosses (que plural feio) ficaram nesse pote plástico que achei em um cassino de Las Vegas. Isso faz mais de 05 anos e não sei porque, mas até hoje guardo ele com muito carinho. A gente se apega a cada coisa... Não sei pra que ele servia, acho que era pote de pipoca.
Esse lip balm com a Sally do Estranho Mundo de Jack é meu preferido da vida toda. Usei tipo duas vezes, porque não quero que acabe nunca. E olha que é super raro eu fazer isso, porque acho que não dá pra ter pena desse tipo de coisa, até porque né, tem que dar espaço para coisas novas... Hihi beauty shopaholic feelings. O Rosebud Salve é clichê já nos blogs de beleza, mas ele é o amor da minha vida lipbalmística. E aquele de moranguinho só tenho porque é muito vintage. Comia tanto esse negócio na infância.
Os batons ficaram naquelas caixinhas de acrílico com separação próprias para eles. Acho muito brega então nem tirei fotos. Hehehe.
Descobri que tenho pincéis demais, e o pior: a maioria deles são ruins. Os pequeninhos vieram dentro de Palettes. Claro que o meu preferido é aquele de cima rosa com arabescos no cabo, mesmo que ele não tenha muita utilidade porque é grande demais, mas uso para aplicar pó compacto. Acho que comprei na Forever 21. O de cabo azul que está bem no meio é um pincel que antigamente usava para fazer pinturas, mas percebi o potencial dele para esfumar sombras, lavei com muito amor e carinho e é extremamente útil. A maioria dos meus pincéis são da Avon e acho muito bons. Me recuso a pagar mais de R$ 50,00 em um pincel da MAC, por isso não tenho nenhum (aliás, não tenho nada da MAC, mas minha mãe está em Paris e espero que ela esteja providenciando - MÃE, NÃO ESQUECE DE MIM!).

Pipeline renovado

Vocês lembram do cachorrinho parente do primo itchy que apareceu nesse post aqui? E nesse outro? Então... Ele mandou dizer que desistiu dessa vida glamourosa e resolveu fazer a Britney e raspar o coco...
Brincadeiras à parte, Pipeline teve um probleminha de saúde e tivemos que tosá-lo (ele está bem).
Quando fui buscá-lo na Pet Shop achei que era brinks da atendente mas como estava com a mesma coleira fiquei com vergonha de discutir com a mulher... Vai que fosse ele mesmo né, e eu que não estava reconhecendo. Ele não tem um dentinho da frente (simplesmente sumiu, não sabemos como e quando ele perdeu) então quando entrei no carro abri a boquinha dele para ter certeza que era ele. O caminho todo até em casa fiquei olhando ele com cara de desconfiada... Mas me convenci. Hahaha.
Achei que ele ficou tão lindo quanto antes. Parece um filhote de vira-lata daqueles bem simpáticos, só que prognata. Pelo menos agora tenho uma boa desculpa para colocar roupinhas nele, porque antes, além de ficar com calor, ficava parecendo uma salsicha.
Acabei descobrindo uma forma instantânea de fazer cães ficarem com cara de coitadinho. É só colocar o cone da vergonha neles:
óóóó... Coitadinho!

cupcake de coruja

Coleciono fotos e imagens bonitas que encontro na internet e posso ficar horas olhando tumblrs e blogs alheios. Salvo tudo e coloco em uma pasta. Recentemente desenvolvi o hábito de procurar coisas que gosto que não tem nada a ver uma com a outra e ver no que dá. Numa dessas, procurando corujas e cupcakes, encontrei uma idéia delícia e resolvi fazer. Virou isso:
Achei que ficou demais. Fiz aquela receita de café e chocolate, recheei e cobri com Nutella, coloquei duas Negrescos (apenas a parte recheada) e, com uma ganache de chocolate em um saco de confeiteiro com bico pitanga, fiz gotas em cima dos olhos para fazer as orelhas. Não é a coisa mais prática de comer, mas surpreendentemente tudo combina muito bem e fica muito gostoso. Para fazer a bolinha nos olhos e o bico, tingi pasta americana de preto e amarelo. Na verdade, depois percebi que na foto que encontrei a bolinha era feita de m&m's marrom e o bico com m&m's amarelo.
Sei que sou a louca dos cupcakes e que não é todo mundo que tem essas coisas todas que uso em casa, então pensei em umas idéias mais práticas para fazer essa receitinha. Usar os m&ms ao invés de usar pasta americana já ajuda, pois a pasta é chatinha de encontrar e é um saquinho de tingir. Para quem não tem saco de confeiteiro, sugiro quebrar chocolate em pedaços triangulares e colocar no lugar das orelhas. A Nutella serve bem como cola, acho que não vai ter problema nenhum. E não precisa necessariamente usar Negresco, se você preferir outra bolacha, dá para usar, desde que o recheio seja clarinho.
Como sobrou bolinhos e ganache, acabei fazendo outros cupcakes com cobertura e triturei as bolachas sem recheio que sobraram e coloquei por cima, como se fossem confeitos. Ficou ótimo, porque a Negresco é muito crocante. Acho que deve combinar bem com cobertura de cream cheese também. Fica, então, essa última dica.

5 filmes que me fazem chorar

1. lado a lado
A vida de uma família linda abalada pelo câncer da mãe e de quebra temos uma madrasta boazinha e crianças fofas (porém rebeldes). É ou não é a receita de um filme triste? Gosto desse filme, gosto do menininho simpático, da susan sarandon, da julia roberts, dos cenários (NYC em filmes é amor) e da forma como termina. Gosto da conversa entre a mãe e a madrasta, quando a Julia Roberts diz que, no casamento da menina, ela tem medo de estar lá, emocionada, alisando seu vestido, fazendo os últimos retoques, e que enquanto isso ela fique pensando "queria que minha mãe estivesse aqui", e a mãe responde "e meu medo é que ela não esteja pensando isso". Choro toda vez.
2. Marley e eu
A vida de um cachorrinho extremamente simpático, desde seu nascimento até sua morte. Muito amor durante o filme, mas no fim acho que é impossível para quem tem bichinho não ficar triste pensando que um dia isso vai acontecer com o seu. Acho que é por isso que choro tanto, porque me acostumei tanto com o meu cachorrinho na minha vida que não saberia como viver sem ele. Na verdade, não acho esse filme tão bem feito assim, a Jennifer Anniston para mim só serve para o papel da Rachel e não sei porque estão enfiando esse cara narigudo em tudo quanto é filme, acho que ele devia se manter nas comédias pastelão. No mais, li o livro e acho que eles pintaram demais o Marley como um cachorro muito pestinha, quando na verdade ele faz bem mais coisas fofas do que coisas ruins.
3. uma prova de amor
O filme começa com a pequena miss sunshine falando que ela foi premeditada especialmente para curar sua irmã, indo em um advogado dizendo que quer revindicar os direitos sobre o próprio corpo, porque não quer que seus pais a obriguem a doar a medula para sua irmã, que tem leucemia. Aí tu pensa... WHAT THE HELL??? Mas no desenrolar do filme, se vê que tem muito mais nessa história do que uma simples menininha rebelde. E incrivelmente a Cameron Diaz convence bastante como mãe sofredora. Não sei se realmente recomendaria esse filme para alguém, porque ele é tão triste que dói. Assisti esse filme com a minha irmã e em um ponto estávamos literalmente chorando abraçadas.
4. Moulin Rouge
Ai sei que é muito clichê, que a história é muito ficção, mas sei lá esse filme mexe comigo. As músicas lindamente produzidas, as cores, o glamour da Paris antiga, o amor, a ruivice maravilhosa da Nicole Kidman, o final... Choro muito.
5. corrente do bem
A minha opinião sobre esse filme é que ele é desnecessariamente triste. O gurizinho de Sexto Sentido recebe um tema na escola, onde ele tem que inventar alguma coisa que realmente mude o mundo. Ele então cria a teoria da "Corrente do Bem", percebendo que se ele ajudar três pessoas, que ajudem mais três pessoas, e essas mais três pessoas... enfim, com isso ele poderia mudar a vida de muitas pessoas. Demais. Aí o filme todo é ele tentando ajudar essas três pessoas, e ele percebe que não é tão fácil quanto ele achava, pois a maioria das pessoas não quer ser ajudada. E aí acontece um monte de coisa, o filme é lindo, e no final...... Bem, o final não precisava. Só isso.
todas as fotos via weheartit

continuo...

continuo na mesma cidade, na mesma faculdade, na mesma.
continuo com poucos amigos, com poucas histórias, com poucas paixões.
continuo fazendo drama, fazendo manha, ficando triste sem razão.
continuo me arrependendo, me endividando, me odiando.
continuo acreditando nas pessoas, esquecendo das pessoas, odiando as pessoas.
continuo me preocupando demais, falando verdades que magoam e tentando ajudar quem não quer ser ajudado.
continuo desenhando nas classes, dormindo nas classes, sofrendo nas classes.
continuo com preguiça de decidir o futuro, de lembrar do passado e de viver o presente.
continuo achando que tudo vai dar certo.
continuo igual.
continuo diferente.

Porto Alegre...

Mais uma da saga furtei o tablet do meu namorado e passo o dia inteiro fazendo desenhos no computador. A foto na qual me inspirei (está mais para passei por cima) é a desse post aqui. O arco-íris não saiu de jeito nenhum, mas gostei mesmo assim. Amanhã no feriado pretendo aproveitar essa cidade linda, que me faz tão sentimental. Na torcida para que São Pedro ajude.
"Porto Alegre é que tem um jeito legal
É lá que as gurias, etc... e tal
Nas manhãs de domingo, esperando o Gre-Nal
Passear pelo Brique num alto astral
Porto Alegre me faz tão sentimental
Porto Alegre me dói, não diga a ninguém
Porto Alegre me tem, não leve a mal
A saudade é demais, é lá que eu vivo em paz
Quem dera eu pudesse ligar o rádio e ouvir uma nova canção do Kleiton e Kledir
Andar pelos bares nas noites de abril
Roubar de repente um beijo fadio
Porto Alegre me faz tão sentimental
Porto Alegre me dói, não diga a ninguém
Porto Alegre me tem, não leve a mal
A saudade é demais, é lá que eu vivo em paz
Porto Alegre é demais!"

stills from the weekend #4

No sábado, fizemos um chá de fraldas aqui em casa para uma amiga que está esperando uma menininha para novembro. Como tínhamos poucas convidadas, acabamos conseguindo fazer tudo em casa. Caprichamos nas comidinhas e na decoração e compramos só coisinhas rosinhas e vermelhinhas. Ficou tudo lindo e delicioso.
Cajuzinhos, marshmallows em formato de coração, bolo de fraldas e docinhos de ricota. Estava tudo uma delícia. Confesso que quando minha mãe disse que esse bolo era uma tradição de chás de fraldas, achei a coisa mais brega do mundo. No fim, ficou um amor e o unicórnio de pelúcia deu todo um charme. As receitas com certeza aparecerão no Lilica Gourmet, blog de culinária da minha mãe.
Para a lembrancinha, fiz cupcakes de chocolate com café (receita aqui) e colocamos dentro dessas caixinhas lindas em formato de casinha. Do outro lado do telhadinho, colamos uma lembrancinha clássica, agradecendo os que compareceram, com o nome da neném e a data. Não ficou lindo?

cool signs #5

Um pouco de prepotência do nosso amigo Walt Disney, mas amei essa plaquinha que encontramos na entrada da Disneyland em L.A. Mágica, né?