Paris Fashion Week me aguarda

17 de abril de 2017
Ando obcecada por essa camiseta de planetinhas da C&A. O problema é que ela é cropped. Por que as marcas andam fazendo tanta ~cropped~, pelo amor de Deus? Ou tem um monte de bonita por aí que se sente confortável em mostrar a barriga e eu não tô sabendo? Ou é tudo um complô da indústria da moda pra nos fazer usar cintura alta? Dúvidas. Eu uso ela com um shorts de cintura alta que me foi dado como pagamento pelo meu PRIMEIRO TRABALHO DE MODELO. Sim, finalmente me descobriram e minha carreira de modelo iniciou.
HAHAHAHA QUE VERGONHA. Essa sou eu, manas. Dá pra ver pelas minhas mãos tranquilas e relaxadas o quanto eu estava confortável com essa situação SQN. Plmdds isso faz 1 mês e tô com vergonha até agora. 
PARIS FASHION WEEK ME AGUARDA.
Faz tempo que não compro filme pra instax porque ainda não ganhei na mega sena, mas tirar fotos DELA, ah isso eu faço :) Tem algo mais adorável do que essa borracha em formato de gnomo? Queria levar ela pra todos os lugares e tirar foto dele no mundo, Amélie Poulain vibes. 
Essa foto é só pra mostrar esse caderninho fofo que reencontrei perdido nas minhas coisas :)

livros de 2016 #5

12 de abril de 2017
Fui lá resgatar a continuação dos livros que li ano passado e que ficaram faltando falar aqui. Em 2016 eu fiz tipo um ~desafio~ onde só li livros escritos por mulheres, caso você estranhe alguma coisa :)
Clique aqui para ver a parte 1 - parte 2 - parte 3 - parte 4. Eu tenho um perfil no Skoob.
17. A História Secreta - Donna Tartt
Descrição: "Quem conta a história é Richard Papen, garotão da ensolarada Califórnia que consegue ser admitido na seleta Hampden, uma universidade em Vermont freqüentada pela elite norte-americana. Richard imagina ter atingido o Olimpo ao entrar para o círculo mais privilegiado daquela universidade. Cinco alunos, sofisticados e originais, selecionados por um mestre erudito e carismático, dedicam-se ao estudo da Grécia antiga. A eles junta-se o narrador, para participar da busca da verdade e da beleza, entre festas orgiásticas e finais de semana numa antiga casa de campo, regados a muito álcool e discussões filosóficas. A loucura desmedida certa vez termina numa orgia cujo ponto culminante é um ato de violência inominável e o suposto aparecimento do próprio Dioniso, numa de suas diversas manifestações. Quando descobre a terrível verdade, Richard envolve-se numa cadeia de segredos e cumplicidades, num encadeamento de medos e inseguranças que leva o grupo a cometer um ato ainda mais terrível. Melancólico e irônico, este é um romance feito de terror e prazer, remorso e decepção. Com ele, Donna Tartt revelou-se uma grande escritora já em seu livro de estréia."
Li esse livro porque adorei O Pintassilgo e queria ler mais de Donna Tartt. Eu gostei de A História Secreta e li em uma sentada. O problema da história é uma coisa recorrente que eu sinto em muitos livros de ficção: muitas coisas extraordinárias acontecendo. Eu acho que uma pessoa tem uma cota de coisas extraordinárias que acontecem na vida dela, coincidências loucas, enfim... E em muitas histórias de ficção acontece MUITA COISA em MUITO POUCO TEMPO e eu fico meio 'tá, impossível.'. Quer dizer, eu sei que é ficção, mas gosto quando fica o mais próximo da realidade possível. Não quer dizer que não gostei, é só uma observação. Eu não faço sentido fazendo resenhas de livro, plmdds.

18. Harry Potter and The Cursed Child - J. K. Rowling
Descrição: "Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados."
MORTA, ENTERRADA, R.I.P! J. K. Rowling foi lá e fez outro livro pra gente e a gente ficou tudo louca. Daí a gente foi lá ler e era uma bosta. HAHAHA saco.
Na verdade eu confesso que não achei uma bosta. Só não era nada do que eu esperava. Não sei se é o fato de que é um roteiro. Não sei de nada. Foi muito emocionante ler aquele universo do Harry Potter de novo e eu parecia uma criança feliz quando ganhei um livro. Um amigo comprou pra mim de presente e me entregou num bar e eu comecei a ler ainda no bar. Juro. Mas no fundo eu acho que gostei só por causa disso: uma nostalgia, uma sensação de minhas preces foram atendidas e se sentir mal de não ter achado o livro tão bom assim PORQUE TEM UM LIVRO NOVO SABE. Pior se não tivesse. Muitos sentimentos, não sei como terminar essa resenha.
J. K. Rowling, eu vou te amar pra sempre, não fica magoada miga.

19. E O Vento Levou - Margaret Mitchell
Descrição: "Um relato apaixonante sobre a guerra civil norte-americana, a aristocracia sulista que ela abala e transforma, e a coragem de uma mulher que nunca se deixou vencer. Conheça a linda e tempestuosa Scarlett O'Hara e o irresistível Rhett Butler, que a ama ao longo de todas as suas provações. Conheça a doce Melanie, o honesto Ashley Wilkes e os muitos outros personagens que habitam a esplendorosa fazenda Tara." (que descrição bem horrorosa)
Depois desse post absurdamente longo que publiquei aqui preciso dizer que fiquei completamente obcecada por ele e ainda estou e eu amo esse livro e virou meu livro favorito.

20. O Talentoso Ripley - Patricia Highsmith
Descrição: "Tom Ripley sobrevive de trambiques em Nova York. Ele é especialista em forjar documentos, além de ter um talento extraordinário para imitar personalidades e características pessoais. Vive tentando escapar das investidas da polícia nova-iorquina, enquanto sonha com uma vida fácil. Certo dia, o milionário senhor Greenleaf o procura, supondo que Ripley seja um grande amigo de seu filho Dickie."
Mé. Não ruim, não ótimo. Queria catar uma nova Agatha Christie porque já li todos dela, mas não chegou nem perto. Mesmo assim, fiquei com vontade de ler a sequência. Interessante um romance policial da perspectiva do ~vilão~. 

21. A Estrutura da Bolha de Sabão - Lygia Fagundes Telles
Descrição: "Esta reunião de oito contos escritos por Lygia Fagundes Telles em épocas e circunstâncias diversas atesta não apenas a excelência da prosa da autora mas também a sua condição de notável "pesquisadora de almas", conforme a definiu o crítico Nogueira Moutinho.
Os protagonistas destas histórias encontram-se, em geral, numa relação crítica com as pessoas e ambientes que os cercam - e também consigo próprios. Secretos podres familiares, desenganos amorosos, vocações frustradas, o desejo extraviado, nada é confortável nessas narrativas descontínuas, que alternam descrição objetiva, discurso indireto livre e fluxo de consciência, num autêntico tour de force literário. A vida, parece nos dizer a autora, é frágil, fugaz e misteriosa como uma bolha de sabão."
Já falei por aqui que adoro contos e os que estão reunidos nesse livro são, pra mim, ~o topo da cadeia alimentar~ de contos. Eu vejo contos como aquela história sem fim, que consegue deixar você mirabolando toda a vida do personagem mesmo sem ter muitas informações sobre. Eu queria escrever contos. Eu queria escrever contos como a Lygia Fagundes Telles escreve.

22. Só Garotos - Patti Smith
Descrição: "Patti Smith se mudou para Nova York com vinte anos, no final dos anos 1960. Enquanto entrava em contato com parte dos aspirantes a artistas que partilhavam a atmosfera do 'verão do amor', conheceu sua primeira grande paixão - o futuro fotógrafo Robert Mapplethorpe, para quem Patti prometeu escrever este livro, antes que ele morresse de AIDS, em 1989. Tendo como pano de fundo a história de amor entre Patti e Mapplethorpe, este livro procura ser um retrato confessional da contracultura americana dos anos 1970. Muitas vezes sem dinheiro e sem emprego, mas com disposição, os dois viveram períodos de transformações - até mesmo quando Robert assume ser gay ou quando suas imagens consideradas ousadas começam a ser reconhecidas no mundo da arte."
Eu sou aquela pessoa chata que tem preconceito com coisas que fazem muito sucesso e daí quando finalmente dá o braço a torcer se arrepende de não ter dado uma chance antes. Foi assim com esse livro. Eu vi tanta gente falando dele por aí que já estava enjoada dele antes mesmo de saber do que se tratava. Aí acabei ganhando e fiquei me sentindo uma idiota por não ter lido ele antes. É um livro lindo, que conta uma história linda, forte e triste. Sensível. Tem um pequeno porém, porque eu realmente sou chata e adoro colocar poréns nas coisas. Patti Smith cita muitas pessoas que, se você está ligado na cena cultural nova-iorquina dos anos 60/70, provavelmente conhece. Mas euzinha melo não. E, sei lá, a maioria das pessoas acredito que não. Não chega a ser um problema, mas acho complicado ficar citando nomes de pessoas sem situá-las. Tive o mesmo problema com Yes, Please, da Amy Poehler. Não estraga o livro, mas eu fico me sentindo meio estúpida procurando nomes aleatoriamente no Google só pra saber de quem se trata.

Só Garotos foi o último livro que li em 2016 e lamento informar que no ano de 2017 até agora li o total de: UM LIVRO :~ eu culpo o netflix.

Random III

5 de abril de 2017
Tem gentes fazendo BEDA e eu aqui tentando postar pelo menos 1x por semana. Eu queria entender como funciona minha cabeça e porque às vezes eu posto tipo quase todo dia (exageeeero) e às vezes duas vezes por mês. POR QUE?
Tá aqui um post com fotos aleatórias pra preencher buraco :)
Aproveitando os últimos dias quentes pra usar shortinho (mentira tirei essa foto tipo em dezembro). Mas eu continuo usando shortinho na rua, embora esteja ansiosíssima para o frio. Eu sempre lembro de uma amiga que dizia que 'shortinho não era coisa de cidade' e sim de praia. Ela se sentia mal usando ~na cidade~ por causa dos olhares que recebia. VAI TER SHORTINHO NA CIDADE SIM. E SE RECLAMAR VAI TER MICRO-SHORTS, que é o que esse da foto é :)
Não consegui jogar fora essa garrafa de saquê que um amigo me trouxe do Japão, então virou vaso para flores :)
Achei esses degradês de aquarela que tinha feito um tempão atrás e escrevi bobagens neles :)
Adorei essa foto de umas florzinhas falsas que tenho no meu quarto. Foram bem baratinhas e acredito que ~agregam valor ao camarote~. Vendem em qualquer loja de 1,99 :)

Março 2017: o que teve

31 de março de 2017
O que teve é um post mensal que faço todo final de mês contando o que aconteceu nele. Clique aqui para ver outros posts da categoria.
Março foi o mês que, pela primeira vez na vida, fiz uma feijoada. Sabem o que é nojento, gente? Orelha de porco. Plmdds. MAS NÓIS COME, PQ DELÍCIA. Então fui lá eu lavar orelha de porco, TIRAR PELOS DA ORELHA DE PORCO, e tô com ânsia só de lembrar. Querem receita ou nem? Eu sou aquelas tia que adora trocar receita <3
Também teve muita ganinha com o cão Pipeline. Às vezes é muito difícil não morder ele de tanta gana (Felícia). Olha essa Leroy Merlin dando show de ~conquiste o cliente~ pq eles tem lá esse carrinho com gaiola que tu pode levar teu animal :~~~) talvez a coisa mais adorável que eu já tenha visto.
Março também foi o mês que comecei a fazer um curso de confeitaria e já engordei dezoito quilos e contando. 

Mas de mais importante mesmo foi minha mãezinha ter voltado de Portugal <3 ela morou lá durante 1 ano para estudar e agora caminha entre nós meros mortais novamente. Eu tava com muita saudade mas quem quase teve um treco quando encontrou ela foi o Pipe, que tá um alívio só. Parece que os planetas se alinharam :)
Teve também a cafeteira que estragou e meu amigo desenvolveu essa gambiarra maravilhosa MACGYVER dos cafés <3 Meu quadro favorito foi pendurado em cima do toca-discos. E teve eu demonstrando todas minhas ~capacidades fashions~ mas essa foto poderia também ter a legenda: ~o motivo pelo qual não faço looks do dia~ :)
E teve essa foto que talvez seja minha preferida da vida deste animal. O cão em seu habitat natural - minha cama. Perceba que do jeito que ele deita ele consegue ocupar 85% da cama <3

ninguém vai ler :)

30 de março de 2017
E aí que eu estou obcecada por um livro que li, E O Vento Levou. Por nenhuma razão, NENHUMINHA, a não ser minha obsessão, eu fiz esse grande resumo dele. É mais pra eu nunca esquecer, porque esse livro foi muito importante pra mim, e eu sou meio esquecida. Mas vai que interesse alguém :)
Geórgia, EUA, 1860, período pré guerra da secessão. 
Scarlett O'Hara tem 16 anos e é de uma família de fazendeiros ricos. O pai é um irlândes que fez a vida sozinho. A mãe é de uma família tradicional georgiana. O nome da fazenda em que eles vivem é Tara.
Scarlett é linda e todos os boys querem ela. Ela só quer um boy, o Ashley Wilkes. Os Wilkes são também fazendeiros mas é a única família que é culta e estudada. Eles tem até uma biblioteca. Isso significa muita coisa na Geórgia de 1860. Os Wilkes adoram casar com primos pra manter a prole em família.
Vai rolar uma festinha na região e a vários gatinhos covidam Scarlett pra ir junto no rolê. Mas ela tá obcecada pelo Ashley. Ela fica sabendo que vai ser anunciado na festinha que Ashley e Melanie Hamilton estão noivos.
Scarlett fica chateadíssima pois tem certeza que Ashley ama ela e que só vai casar com a Melanie porque ela é prima dele e a família dele está forçando esse casamento. Ela decide confrontar o Ashley na festa e, se necessário, fugir com ele.
Ela chega na festa com um vestido decotado e choca todo mundo. Fica dando em cima de vários boys pra ver se o Ashley nota e sente ciúmes. Ashley caga.
Na festa, ela conhece um indivíduo chamado Rhett Butler. Entra Rhett Butler. Eu amo o Rhett Butler. Tô emocionada só de pensar no Rhett Butler. A guerra está próxima e há boatos que Rhett Butler negocia com yankees, sendo então ele uma persona non grata na região.
Ela cria coragem e confronta Ashley na biblioteca. Ele caga de pra ela de novo. Basicamente ele diz que ama ela, mas que ele é culto e ela não, ou seja, que ela é burra demais pra ele. Ela dá um tapa nele. Ele sai da biblioteca. Rhett Butler estava na biblioteca deitado no sofá e não foi visto por eles. Ela fica odiada e decide fazer a única coisa possível para evitar a vergonha: casar com o irmão da Melanie que é apaixonado por ela. ÓTIMA MANEIRA DE PENSAR, Ñ É MSM? CLARAMENTE ÚNICA OPÇÃO POSSÍVEL.
Daí ela vai lá e diz pro Charles Hamilton que quer casar com ele e ele aceita na hora e ela diz que tem que ser imediatamente.
A guerra estoura.
Não, sério. A guerra estoura exatamente nessa hora.
Ela casa com Charles e ele parte para lutar ao lado dos confederados na guerra. Ele morre em poucos meses. Ela está grávida. Ela está puta da cara porque o marido dela morreu e deixou ela grávida. Essa gravidez foi ignorada no filme.
Ashley também foi para a guerra e Melanie, que já é sua esposa e está grávida, está morando em Atlanta com a tia Pittypat. Nenhum nome de tia é melhor do que tia Pittypat. Melanie tem um coração de ouro e nunca percebeu que Scarlett considera ela uma arqui-inimiga. Melanie convida ela pra morar em Atlanta com elas. Scarlett vai.
Scarlett obrigatoriamente está em luto e deve ficar 5 anos dentro de casa usando preto. Nesse meio tempo o filho dela nasce. Ela odeia o filho porque ele é resultado de um casamento sem amor e porque não é filho do Ashley. Ela realmente é obcecada pelo Ashley.
Vai rolar uma festinha dos confederados em Atlanta. Um evento promovido pelo exército para arrecadar fundos. O trabalho das mulheres na guerra é arrecadar fundos e ajudar no hospital com os soldados caídos. Scarlett está louca pra dar um rolê e está revoltada com ter que ficar de luto tanto tempo. Ela convence todo mundo que ajudar a causa sulista é maior do que um simples luto e consegue ir.
Rola um 'passa o chapéu' do exército na festa. Scarlett não pode usar jóias pois está de luto mas ainda usa a aliança de Charles. Scarlett coloca a aliança no chapéu e todo mundo fica impressionado com a coragem dela em se desfazer da única memória do marido. Ela ri por dentro e se sente aliviada de não ter mais que carregar aquele fardo.
Rola também um sorteio apenas um pouco machista de mulheres no evento. Os boys pagam pra poder dançar com mulheres. Rhett Butler (<3) está lá. Rhett Butler oferece uma quantia absurda pra dançar com Scarlett. Todo mundo fica chocado porque Scarlett está de luto e não pode dançar. Scarlett desafia todos os padrões morais, manda todo mundo a merda e dança com Rhett.
A guerra se aproxima de Atlanta, a tia Pittypat foi visitar uns migos e Scarlett e Melanie estão de banda. Melanie está no último estágio de gravidez e a guerra chega em Atlanta. MELANIE VAI PARIR NO DIA QUE OS YANKEES COMEÇAM A INVADIR ATLANTA. A Scarlett manda chamar o médico que responde algo do tipo 'QUEM SE IMPORTA COM UMA GRÁVIDA, OLHA A TUA VOLTA' e aí a Scarlett tem que fazer o trabalho de parto de Melanie, que é muito fraca e quase morre durante o parto. Os Yankees estão já dentro de Atlanta. Scarlett decide voltar pra Tara mas não tem como ir. Scarlett lembra então que Rhett Butler existe e manda chamar ele pra ajudá-la. Rhett chega num cavalo todo capenga e ajuda ela a sair da cidade em chamas. Quando saem da cidade, ele desce da carroça e diz que decidiu lutar ao lado dos confederados e deseja boa sorte a ela na jornada a Tara. Ela fica puta e diz que nunca mais vai olhar na cara dele.
Scarlett, seu filho, sua escrava, Melanie inconsciente e seu nenê recém nascido iniciam então a jornada sozinhas até Tara. Quando chegam lá, sua mãe está morta e seu pai ficou louco. Os yankees invadiram Tara e fizeram lá o seu QG e o pai dela não aguentou a desgraça. Tara está completamente destruída e, onde Scarlett achou que ia conseguir alento, só vê ruínas. Suas irmãs são inúteis, uma dela está doente e sobra pra Scarlett levantar a fazenda. Scarlett, que é donzela e nunca teve que trabalhar na vida, tem que plantar mandioca e fazer trabalho pesado. Eles passam fome e ninguém faz nada, só ela. É aí que entra essa cena maravilhosa e conhecidíssima:
Scarlett, depois de muito tomar na cabeça e de ter todo o peso do mundo nas suas costas, decide que nunca mais vai passar fome. Que coisa mais linda.
Ashley surge. Ele tinha sido capturado pelos yankees e, agora que a guerra acabou, foi solto. Ele caga. Caga mesmo, eu juro que caga. Ele chega na fazenda, fica comendo as coisa tudo e, o trabalho que Scarlett faz em uma hora, ele leva um dia pra fazer. E ainda reclama que a vida que ele está acostumado não é aquela e que isso não é vida.
Scarlett um dia cansa de todo o peso do mundo nas suas costas e intima Ashley no meio do campo de mandioca, dizendo que sabe que ele a ama e que quer fugir com ele. Ele diz que sente desejo por ela porque ela é gata e apenas isso. Ela diz que então não tem nada mais a se prender. Ele pega um pedaço de terra, coloca na mão dela e diz: você tem isso, você tem Tara. Você sempre vai ter sua terra. Esse momento é importante.
Nesse meio tempo, começa a aparecer uns soldados voltando derrotados da guerra pedindo comida. Numa dessas, aparece Frank Kennedy, que era meio que prometido pra irmã dela. Ele pede pra Scarlett pra casar com a irmã dela, mas diz que primeiro tem que conseguir dinheiro em Atlanta. Ela permite.
Em outra dessas, aparece Will Benteen, que chegou e foi ficando e acaba por ser o braço direito de Scarlett
Em mais uma dessas, aparece um soldado yankee dentro de Tara e ela mata ele. Ela pega uma arma e mata ele, porque ele está invadindo a casa dela. Melanie vê e não demonstra nenhum choque. Elas simplesmente enterram o corpo juntas e prometem nunca contar a ninguém. Aqui você percebe que uma amizade muito mais forte do que Scarlett sente por Ashley existe.
E aí ela descobre que os yankees, que já dominaram Georgia, vão aumentar os impostos da fazenda e ela não tem como pagar. O dinheiro dos confederados não vale mais nada.
O pai dela morre tentando pular uma cerca a cavalo.
Ela então lembra de Rhett Butler, O CARA QUE ELA TINHA JURADO QUE NUNCA MAIS IA DIRIGIR A PALAVRA, que fez fortuna negociando com os yankees. Ela decide ir a Atlanta pedir dinheiro a ele, inclusive estando disposta a transar com ele em troca. Tudo isso porque ela prometeu que nunca mais ia passar fome e que faria qualquer coisa pra que isso acontecesse. Só que o Rhett Butler está preso, os yankees estão querendo seu dinheiro de volta e ele diz que não sabe onde está. Ele brinca com ela e diz que não pode ajudá-la pois vai ser enforcado dali a 3 dias. Na saída da prisão ela encontra Frank Kennedy, o boy da irmã dela, e ele conta pra ela que agora tem um negócio próprio e que tudo está correndo bem e que, em breve, poderá casar com sua irmã. Ela prontamente diz que a irmã já vai casar com outro e que ele deixou correr muito tempo mas que ela está solteirinha da silva.
Sim, Scarlett passa a perna na irmã pra conseguir o dinheiro. Scarlett, então, casa com Frank Kennedy, se muda pra Atlanta e começa a mandar dinheiro para Tara.
Scarlett descobre que o marido é meio bundão e que podia ganhar muito mais dinheiro se fosse mais esperto, então ela abre uma madeireira e comanda a madeireira. Ela comanda o próprio negócio. Ela pede a Ashley para comandar a madeireira com ela e ele diz que precisa sair disso, que quer se mudar pra Nova York e colocar tudo isso pra trás. Ela faz uma chantagem emocional, envolve a Melanie e a Melanie obriga Ashley a ficar. Scarlett AINDA É OBCECADA (!) por Ashley e não quer ele longe.
Rhett Butler molhou a mão dos yankees e não foi enforcado. Vai atrás de Scarlett pra descobrir ela casada com o boy da irmã e fica WHAT.
Tá, daí tá rolando o esquema da madeireira, a escravidão foi abolida e Scarlett "contrata" presidiários para trabalhar lá. Ela não paga eles e é um novo tipo de escravatura. Já é um absurdo naquela sociedade uma mulher comandar um negócio sozinha e ela ainda por cima negocia com yankees. Daí tá pegando pesado. Scarlett acaba sendo excluída da alta sociedade de Atlanta. Ela não dá bola pra esse tipo de preceito moral porque tem que lutar pra sobreviver e isso faz dela uma paúra.
Numa dessas idas a madeireira ela está indo pra lá sozinha e é atacada por dois boys que deixam ela semi-nua. Ela é salva por um ex-escravo de Tara e volta pra casa arrasada. As mulheres culpam ela por estar andando sozinha por aí e agora os homens vão ter que se vingar.
Os homens são a KKK. Foi o grupinho de migos da Scarlett que criou a KKK. Yep.
Então os homens saem pra pegar os caras que fizeram isso com a Scarlett e o marido dela leva um tiro e morre.
Só que a polícia já está sabendo da KKK e querendo prender eles. E eles sabiam que nesse dia eles iam se reunir. E há boatos que inclusive o ataque foi uma armadilha.
E aí as mulheres estão em casa fingindo fazer qualquer coisa, a polícia vai lá perguntar pra elas onde estão os maridos e elas ficam se fazendo. Até que chega Rhett Butler, abraçado em um Ashley bêbado e mais meia dúzia de homens bêbados. Eles fazem um teatro dizendo que estavam no puteiro e por isso as mulheres não sabiam onde eles estavam. Dizem que todo mundo do puteiro podia atestar isso. Eles tem um álibi e a polícia vai embora.
Ashley tira o casaco e ele levou um tiro. Eles estavam fingindo. Rhett Butler armou todo o circo porque era amigo das putas e salvou o dia mais uma vez. Ele pede desculpas para as mulheres por não ter conseguido um álibi mais respeitável porque ele é um fofo. Rhett Butler salva o dia NOVAMENTE. Herói.
Ashley sobrevive de boas.
Rhett conta pra Scarlett que Frank morreu e aproveita para pedir ela em casamento.
QUE HOMEM.
Ele dá um beijo de verdade nela, um beijo que ela nunca tinha recebido, e ela fica toda molenga e aceita. Coisa mais adorável. ENTÃO FINALMENTE ELES CASAM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
A lua de mel é incrível, eles dão altos rolês fazem várias festas, voltam pra Atlanta e constroem a casa dos sonhos. Nesse meio tempo rola um romance lindo entre eles e a gente fica tudo sonhando com um boy igual o Rhett pra gente. Sério. Onde compra? TÁ TUDO LINDO? Não. Scarlett CONTINUA OBCECADA POR ASHLEY. 
Scarlett engravida e eles tem uma filha, a Bunny. Rhett é obcecado pela Bunny e começa a se esforçar pra entrar na alta sociedade de novo, pra que sua filha possa ter uma vida plena.
Scarlett decide que ter a Bunny engordou ela demais (aumentou a cintura dela em 1cm EU JURO QUE É ISSO, 1 CM A MAIS DE CINTURA) e que não quer mais ter filhos. Porque Scarlett quer estar bonita para sempre pra quando ela e o Ashley finalmente puderem ficar juntos. Ela explica pro Rhett isso e ele fica magoadíssimo.
É aniversário de Ashley e a Melanie pede pra ela enrolar ele no trabalho porque vai rolar uma festa surpresa. E aí a Scarlett chega na madeireira e ela e Ashley ficam um tempo conversando, relembrando os velhos tempos. Eles se abraçam e ela percebe não sentir nada naquele abraço e que o afeto que sente por ele TALVEZ seja só afeto de amigo, de família. Mas acontece uma grande merda. Lembra o primeiro marido da Scarlett, o Charles? Ele estava prometido pra irmã do Ashley. E ela ficou magoadíssima e virou uma solteirona e culpa a Scarlett por isso. Então, a irmã de Ashley entra no escritório exatamente no momento em que eles estão se abraçando e saí espalhando o boato que eles estão tendo um caso.
Daí a Scarlett faz drama, não quer ir no rolê mais porque está com vergonha. Rhett fica magoadíssimo porque acha que é verdade. Porque faz sentido ser verdade. Porque ele sabe que ela sempre foi obcecada pelo Ashley. Porque ele vê o jeito que ela olha pra ele. E é aqui que, se você ainda não aprendeu, você vai aprender que: DIÁLOGO É A COISA MAIS IMPORTANTE DE UM RELACIONAMENTO. Scarlett, ao invés de negar e ser honesta com Rhett, apenas fica ofendidíssma por ele pensar que ela faria uma coisa dessas. Ele conhece ela o suficiente pra saber que ela faria.
Ela vai no rolê esperando ser escurraçada porque todo mundo já está sabendo da novidade. Mas Melanie abraça ela e anda com ela pela festa inteira, demonstrando pra todos que está tudo bem. Melanie sabe que Scarlett nunca faria uma coisa dessas. Melanie é a única pessoa que compreende Scarlett de verdade e sabe que tudo que ela faz é um resultado das coisas que ela passou na vida. Melanie e Scarlett: squad goals.
Daí a Scarlett volta pra casa e o Rhett tá bêbado e eles discutem feio, fazem drama mas rola todo um angry sex e eles acabam dormindo juntos. Daí a Scarlett acorda realizada. Lembra que ela tinha meio que percebido que não sentia mais amor por Ashley? Mas aí o Rhett ainda está magoadíssimo, porque ela AINDA não disse pra ele que percebeu que não amava mais o Ashley e que nunca teve um caso com ele. Ele pede desculpas pela forma que agiu na noite passada e vai viajar a trabalho sem avisar ela. E levou a Bunny.
Ele fica uns meses fora e quando volta Scarlett conta pra ele que está grávida. Ficou grávida naquela noite. Rhett acha que é de Ashley, eles brigam, ela tropeça, cai da escada e perde o bebê. Ela fica muito doente delirando por uns dias e Rhett se culpa. Ele fica arrasado. Ele acha que ela não quer nunca mais ver ele na frente. DIÁLOGO, GENTE, NOVAMENTE.
E aí lembra que Rhett era obcecado pela Bunny? Muito disso é porque ele buscava nela o carinho que ele queria da Scarlett. E ele faz tudo pela Bunny, assim como fez tudo pela Scarlett. E Bunny queria porque queria montar a cavalo e ela ganha um pônei dele. E ela vai pular uma cerca com o pônei, cai e morre. Do mesmo jeito que o pai da Scarlett morreu.
Rhett quase morre junto e fica um pouco louco. Bunny tem medo de escuro e ele não quer enterrar ela porque no caixão vai ser escuro. Eles enterram ela com velas dentro.
Nessa mesma época, Melanie engravida. Lembra que Melanie quase morreu no primeiro parto? Ela não podia ter engravidado de novo, mas sempre quis ter outro filho. E aí que ela passa muito mal durante a gravidez e está quase morrendo. Ela está de cama faz meses e, no leito de morte, diz a Scarlett que ela é a pessoa mais incrível que ela já conheceu e pede que ela cuide da família dela. Scarlett fica arrasada e FINALMENTE percebe tudo. Que ela ama Ashley como amigo, que Rhett Butler é o boy da vida dela. Mas ela sai do quarto e abraça Ashley. E Rhett fica arrasado, achando que ela tinha ido buscar conforto nele, mas na verdade ela foi abraçar ele tipo como se fosse se despedir. Um abraço amigável de "acabou.".
Rhett vai embora e ela vai atrás dele. Encontra ele na porta da casa que ele construiu pra ela e fala tudo pra ele. Pede desculpa. Diz tudo que tem que dizer. Que ama ele, que devia ter percebido isso antes, que dali pra frente eles podiam ser felizes e colocar tudo que aconteceu pra trás.
Mas aí, minha gente, aí o Rhett Butler não aguenta mais. Depois de ter passado a vida correndo atrás de Scarlett, ajudando ela, salvando a vida dela, fazendo tudo por ela... Ele não quer mais. Ele cansou. :~~~~~~~~~ EU CHOREI EU JURO QUE CHOREI E EU NÃO CHORO ASSIM TÃO FÁCIL ESPECIALMENTE EM ROMANCES.
E é aqui que entra a famosa frase. Ela pergunta pra ele o que ela vai fazer agora, todo um dramalhão, como ela vai viver sem ele? E ele responde que:
Arrasada. Com certeza a melhor frase da literatura. Significa tudo.
E aí Scarlett que aprendeu a vida toda que tem que ser prática e pensar no dia de amanhã, porque talvez amanhã ela não tenha o que comer, decide não pensar nisso agora. Pensar nisso só amanhã. Ou seja, que ela não vai deixar isso abalar ela.
Eu amo essa maneira de pensar a vida. Também significa tudo. Significa que você sabe que tudo passa, que amanhã vai ser outro dia e depois outro e que tudo vai ficar menor um dia. Acho tão importante pensar assim, conseguir ver isso mesmo num momento triste. Scarlett é uma mulher forte e sabe que vai passar. E percebe que a única coisa boa que ela ainda tem na vida é Tara. A terra dela. Ashley cantou a pedra lá quando eles estavam passando perrengue.
Então o livro acaba com Scarlett chegando em Tara para começar uma nova vida. Porque a vida é feita de recomeços.
:~
Tecnologia do Blogger.
Back to Top